sábado, 6 de setembro de 2014

Sobre (não) estar com você

                             

Tudo que eu quero nesse momento caberia num beijo seu. Nossas bocas em sintonia, ora lentas ora apressadas ao se consumirem. Sua voz ressoando dentro do meu peito e seu ombro como minha morada. Suas mãos, pernas e pés em todos lugares possíveis do meu corpo, conhecendo-me pela última e primeira vez...

Eu imagino esta cena centenas de vezes, retrocedendo e adiantando partes, pausando naquela que foca o seu sorriso. E me sinto uma louca completa por guardá-lo tão dentro de mim, por fantasiar nossos encontros, por te amar. Nos vimos somente um dia, com uma profundidade atordoante, mas não sei se acontecerá de novo. Incertezas e mais incertezas me acompanham, trazendo também a tristeza na bagagem, dizendo que nunca te encontrarei. Que sonhar é a única coisa que me resta.

Apesar disso, apesar de pensar que é perda de tempo, eu o espero. Eu espero sua risada vibrante. Espero o franzir das suas sobrancelhas. Espero seu suspiro de alívio ao chegar em casa depois de um dia de trabalho. Espero as palavras que sairão dos seus lábios. Espero seu olhar concentrado ao ler. Espero estar com você. Não para sempre ou num período determinado de tempo, porém enquanto for certo, enquanto nos gostarmos.

Enquanto der a impressão de que fomos feitos do mesmo abraço.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Sobre a doença e a cura




Os livros não me entretêm mais. Nem a TV ou as tiradas sarcásticas de minhas amigas. Sempre que escuto alguma música, não importa qual seja, a associo a você. Simplesmente não consigo tirá-lo da cabeça.

Você é a melhor pessoa que conheço. Sua companhia me faz bem e eu nunca pensei que pudesse ser tão feliz. Não que minha vida fosse ruim antes de aparecer, mas ela era incompleta. Você a completou. Deixou-me mais leve.

O engraçado é que, quanto mais gosto de ti, mais sinto-me insegura. Porque, embora me sinta à vontade contigo, sei que nunca me amará. Você é meu melhor amigo, eu choro ou sorrio com você, ao mesmo tempo; eu não consigo ficar longe do seu toque, mesmo quando a tristeza é mais do que posso suportar.

E você sabe o que sinto, pois sou transparente e é impossível esconder algo dos seus olhos. Você sabe que o amo e que não pode retribuir, por isso sempre me abraça forte quando estou triste por sua causa. Você sabe o quanto dói e nunca toca neste assunto, continua ao meu lado e tenta atenuar minha dor.

Você é a cura e a própria doença, e eu não sei se fujo ou te procuro, se me perco em seu sorriso ou esqueço seu corpo. Estou caindo aos pedaços, mas você ainda os junta e vê algo em mim que ninguém vê. Você tem o meu coração entre os dedos e não faz nada, deixa-o pulsando em mim, destruindo-me com toda esta paixão aprisionada - porém reconstruindo-me a cada dia, beijando minhas lágrimas com uma ternura que finjo ser amor.


sexta-feira, 18 de julho de 2014

Sobre a perfeição




A perfeição, de verdade, seria estar com você neste momento. E ver o que os seus olhos têm e não têm a falar - os seus pensamentos.
Seria ler um livro ao seu lado - os dois sorrindo por sobre as páginas, calados.
Seria beijá-lo, mesmo que por um segundo - fosse de leve, fosse profundo.
Seria rir seu riso e derramar seu pranto - e depois estacar, com espanto.
Seria gritar nas calçadas: eu este cara! - e rir das reações das pessoas,
enquanto você me ampara.
Seria encontrar palavras suficientes para explicar o que sinto - porque quanto mais palavras digo, mais parece que minto.
Seria ir até sua casa e invadir o seu quarto - até você resmungar que de mim está farto.
Seria te ligar, sem saber o que dizer - e ainda assim você me entender.


A perfeição, para mim, seria você.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sobre as ligações telefônicas


Quando falo com você ao telefone, sinto-me eufórica e pacífica. Porque gosto muito de ouvir sua risada e de saber que a tem comigo; gosto quando trata ironicamente minha obviedades; gosto da sua respiração em meu ouvido; gosto do seu oi inicial e de como sorri ao dizê-lo; gosto de como mudamos de assunto de minuto a minuto; gosto das suas opiniões sempre tão amplas sobre a vida; gosto de cada palavra que diz, embora eu vá esquecendo muitas ao longo da conversa; gosto da sua última promessa: "a gente se fala amanhã de novo"; gosto da nossa (minha?) pequena enrolação antes de desligarmos, e dos três beijos que me deixa, com um "querida" de bônus.

E no final, fico com um sorriso bobo no rosto, fitando a tela do aparelho onde antes tinha seu nome. Essa sensação de felicidade simples e pura fica comigo até eu adormecer.


sexta-feira, 20 de junho de 2014

Sobre a nossa distância



Queria vê-lo agora. Na verdade, não só ver, queria tocá-lo também. Sentar ao seu lado e gravar na alma as palavras que saírem dos seus lábios (porque são suas, e ao dizê-las você as oferece a mim. É o melhor presente que eu poderia ganhar). Ou então ficarmos em silêncio, vendo algum filme (confesso: não sei ficar calada em filmes, sempre comento). Eu sinto a sua falta, é como se você sempre tivesse sido parte de mim. Uma parte distante que nunca pensei em procurar. Até agora. Agora eu sinto a necessidade de estar com você, de beijá-lo, de falar de tudo. De rir de algum comentário seu, rir por nada, rir com a felicidade genuína de estar segurando suas mãos. Eu não pensava que o contato físico era essencial, mas é. É ótimo poder olhar nos olhos da pessoa e ver todas as reações dela, o que não se consegue na internet. Eu quero sentir o seu abraço e ver aquele sorriso lindo que ninguém mais tem. Ser o motivo desse sorriso.

Olha, vou te (me) prometer uma coisa: ainda neste ano, a única distância que existirá será a pausa entre nossas bocas, antes de nos beijarmos.


quarta-feira, 11 de junho de 2014

Cinco Clichês



O beijo, de Gustav Klimt
1.
Todo o meu amor é seu, hoje, sempre, até mesmo quando não me quiser mais.

2.
Você é uma parte minha e eu te tenho diariamente, como num calendário que possui só o seu nome.

3.
Quando eu fico solitária, danço com a sua sombra que ficou em meu corpo, passos e passos com nossas melhores lembranças. Beijamo-nos em silêncio, suas mãos sobre a minha pele, que abre-se para você.

4.
Sonhar com você me traz uma felicidade quase angustiante.

5.
Eu preciso estar do seu lado. Quero descansar no seu abraço. Somente assim me sentirei completa de novo. Ou talvez pela primeira vez.


sábado, 3 de maio de 2014

Sobre a minha felicidade




Eu não posso ouvir sua voz e não sorrir. Eu não posso falar com você e não pensar: ele me tem nas mãos. Porque estar ao seu lado é o que mais quero nesse mundo, nem que seja só por cinco minutos ou cinco segundos. Eu só preciso me sentir parte da sua vida para ficar em paz, sentir que há um lugar em seus braços onde posso descansar. Querido, sua companhia (mesmo distante) é que me mantém sã. Todos os meus sonhos perseguem o seu rosto. O meu corpo te anseia e te espera, e a cada promessa que faço fica uma certeza: eu te amo. Nunca poderei desistir deste amor. Assim como me disse, sei que ele valerá a pena. Você vale toda a pena.

Não existe um caminho para a felicidade, mas se existisse, ele me levaria até você.